Vila Mariana - São Paulo - SP
Vila Mariana
São Paulo/SP

Prefeitura inicia trabalho de remoção do lodo acumulado no lago da Aclimação

16/06/2010
visibility 936

Texto: Mônica Ribeiro
mocribeiro@prefeitura.sp.gov.br

A retirada de parte do lodo do lago da Aclimação teve início na terça-feira, dia 8. O material será removido por meio de sucção em baixa velocidade, desidratado, acondicionado em caminhões totalmente vedados e levado para a Estação de Tratamento de Esgoto ABC, da Sabesp.

Serão removidas cerca de 4.700 toneladas de lodo úmido, que corresponde a 940 toneladas de lodo com teor sólido. O lodo não será retirado em sua totalidade porque a vida aquática, em especial a microscópica, também necessita de sua presença para se desenvolver.

O processo custará R$ 1.037.000 e será executado pela Esan, empresa vencedora da licitação feita pela Sabesp. A retirada do lodo gerará o mínimo de perturbação no cotidiano do parque. A operação será feita através de uma balsa flutuante, na verdade um coletor, que percorrerá o lago em toda sua extensão. Caminhões e caçambas fechadas também estarão no parque. O lodo irá diretamente do coletor gradual para as caçambas, sem risco de derrame de material no piso.

Além da retirada do lodo, o lago ganhará novo vertedouro. Em dezembro de 2009 a Secretaria de Infra-Estrutura Urbana e Obras (Siurb) publicou a ordem de início das obras de reforço de galerias, execução de reservatório, construção de novo vertedouro para o lago do parque e obras de melhoria no sistema de drenagem da bacia da Aclimação. A previsão é concluir esse conjunto de obras em maio de 2011, por um custo de R$ 12,8 milhões. No momento, a Siurb está executando as obras das galerias e do sistema de captação, sendo que a última fase será a instalação do novo vertedouro.
Histórico

No dia 23 de fevereiro de 2009, as fortes chuvas que caíram sobre a Cidade - precipitação de 46,6mm, com agravante de 20mm em apenas dez minutos - elevaram extraordinariamente o nível da água do lago e causaram uma ruptura na parte inferior do vertedouro, o que levou ao esvaziamento do lago artificial.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), com o apoio de Siurb, agiu rapidamente e na manhã do dia seguinte, 24 de fevereiro, foi contratada uma empresa em caráter emergencial que refez o vertedouro na sexta-feira da mesma semana. Houve a contratação em caráter emergencial porque, caso o vertedouro não fosse reparado imediatamente, o lodo continuaria vazando, invadindo a galeria e causando transtorno às casas de moradores.

A Divisão de Fauna Silvestre da Secretaria do Verde, juntamente com a Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros, conseguiu resgatar todas as 48 aves aquáticas que habitavam o lago (2 cisnes, 22 patos, 21 gansos e 3 marrecos). Esses animais foram levados para a Divisão, examinados, monitorados e integrados à fauna do Parque Ibirapuera. Alguns peixes permaneceram em trechos do lago que preservaram poças d\'água. Os animais retornarão ao lago assim que for feita a remoção do lodo. Entretanto, o lago hoje se encontra povoado por peixes, que lá permaneceram em poças quando o lago esvaziou, e muitas aves migratórias. A reprodução dos peixes é um sinal de que a água está com boa qualidade e também com bom nível de oxigênio.
Melhorias

O lago é objeto de atenção do Ministério Público desde 1993, quando a qualidade da água se mostrava ruim, já que recebia material orgânico das proximidades e muito entulho jogado por construções e reformas vizinhas porque, 20 anos atrás, não existia o cercamento do parque. Desde então esforços foram feitos para melhorar a qualidade da água, o que se tornou evidente nos últimos quatro anos, quando intervenções do poder público se refletiram no melhoramento visível da qualidade da água.

Em 2005, o redirecionamento das nascentes para o lago garantiu a manutenção do volume com água limpa. Em 2006, houve modernização da estação de flotação da Sabesp. Em 2007 e 2008, o lago recebeu ações de despoluição do Programa Córrego Limpo, incluindo a eliminação de 42 pontos de esgoto da Favela do Buracão I e II. Em 2008 começou a recirculação das águas, que passaram a ser bombeadas para a estação de flotação, retornando ao lago tratadas. A SVMA analisa e monitora a água com coletas periódicas. De 2005 a 2008, foram mais de R$ 4 milhões aplicados em reformas neste parque, grande parte na melhoria das condições do lago.

Em 2007, a Siurb vistoriou o complexo do lago e do córrego Pedra Azul, verificando a barragem, o vertedouro e as galerias do córrego. Na época foi constatado que a estrutura do lago não apresentava sinal de vazamento e o equipamento estava em bom estado.

Já no fim de 2008, o Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) vistoriou parques da Capital, trabalho divulgado em janeiro de 2009. Sobre a Aclimação foi registrado especificamente: "Monumentos e lagos em bom estado de conservação".